Conforme deliberação ocorrida em Assembleia promovida pelo Sindojus-DF e pela Aojus, os Oficiais de Justiça do TJDFT paralisam suas atividades, a partir desta quinta-feira (1º), diante o descaso com que a Administração do TJDFT vem tratando os pleitos do segmento em diversos processos administrativos e judiciais apresentados nos últimos anos. 

A greve por tempo indeterminado busca reivindicações como a nomeação dos aprovados no concurso público, uma vez que hoje existem cerca de 60 cargos vagos para Oficiais de Justiça, além da limitação de mandados com base nos estudos do ELOGRUP e uma recomposição justa e imediata da Indenização de Transporte.

Em reunião ocorrida nesta terça-feira (27) no Fórum do Guará, o Comando de Greve estabeleceu alguns procedimentos que deverão ser aplicados pelos Oficiais que aderirem ao movimento paredista. Dentre eles está a assinatura e entrega do COMUNICADO INDIVIDUAL DE ADESÃO À GREVE junto à COAMA/PDM, mediante recibo ou via e-mail. “A assinatura e posterior entrega do comunicado individual à COAMA visa dar ciência da adesão do Oficial de Justiça ao movimento paredista de modo que Administração possa gerenciar a força de trabalho dos Oficiais que não aderirem à greve”, informa o presidente Gerardo Alves Lima Filho.

Outras recomendações dizem respeito ao recebimento e devolução dos mandados e a manutenção dos serviços essenciais. Veja AQUI a notícia completa sobre os procedimentos a serem adotados durante a Greve

Para esta quinta-feira, primeiro dia de paralisação, a Aojus e o Sindojus promovem um Ato dos Oficiais de Justiça em greve. A concentração será a partir das 13 horas, em frente à sede do TJDFT (Bloco A).

Além disso, as entidades providenciarão a confecção de faixas e cartazes com mensagens relativas à paralisação, que serão afixados nos Fóruns.

Uma nova reunião do Comando de Greve está marcada para a próxima segunda-feira (05). O local e horário ainda serão confirmados.

Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top